Tarefa 2 – Meu Lixo | Meu excesso | Meu consumo

Oi!

Essa semana estou em Lisboa, Portugal, e optei por fazer a minha tarefa 2 na sua totalidade focada na minha vida em Portugal. Considero que estar a viver em Londres não mudou os meus hábitos de reciclagem, reutilização de materiais e pensamento no bem do outro, de dar algo que não preciso aos que me rodeiam. Tive esta semana alguns consumos fora do normal, pois estou a organizar o evento Criatividade em Gestão de Projectos – como incorporar criatividade em práticas de negócio sustentáveis.

O MEU LIXO
“Pequenas atitudes individuais podem gerar um impacto colectivo”

§ A colecta de lixo: em casa já há muitos anos que me habituei a fazer colecta selectiva do lixo. Foi também interessante aprender como de país para país a separação do lixo é feita de formas diferentes, como em Portugal não tem oficialmente a colecta de lixo bio-degradável separado de “outros”, e na Alemanha e Inglaterra tem. Nas embalagens, em Portugal todas as embalagens (plástico em saco ou plástico em tetra pak vai junto), enquanto que em Inglaterra já não, apenas reciclam as embalagens de plástico duro.

§ O que eu deitei fora durante esta semana: restos de comida (resíduos bio-degradáveis), cascas de fruta e vegetais.

§ O que eu deitei fora mas foi reciclado durante esta semana foi: papel, caixas de cereais, cartão, cartão do papel de cozinha/papel higiénico, embalagens de plástico (queijo, fiambre), embalagens de alumínio (feijão, polpa de tomate, grão), tetra pak (sumos, leite), sacos de plástico sujos ou rasgados (aqui não quis usar a palavra “inutilizáveis”, porque realmente… quase não existe “lixo” inutilizável!), vidro (garrafas, frascos, compotas).

Uma ideia em reutilização de lixo de um amigo meu, que adoptei e deve ser divulgada: carteirinha tetra pak!

MEU EXCESSO
“O meu lixo é o luxo para o outro. Por menos que eu tenha, provavelmente existe alguém que tem menos ainda”

Coisas que não uso mais são essencialmente roupas velhas. Tenho uma amiga que abriu agora uma galeria! É uma história bem engraçada! Resumidamente ela ganhou de presente um espaço entre uma pastelaria que fabrica milhares de pastéis de nata por dia (Os “Pastéis de Belém”), e um restaurante que está aberto há já muitos anos. É uma zona onde passam muitas pessoas diariamente, e é motivador ver o espaço a ser desenvolvido. Ela e os amigos artistas plásticos estavam sem dinheiro ou sem emprego, e esse lugar caiu do céu. O lugar foi cedido e todo um grupo de artistas formaram agora uma República de jovens criadores. Estão focados na arte de Lisboa, a arte de Portugal, os padrões e as poesias, os galos de Barcelos e os fados de Alfama, o Santo António, as pedras da calçada a fazer desenhos de mar e sereias, os pastéis de nata, as caravelas e as barcas que navegam em águas desenhadas em diferentes materiais. É uma boa galeria, e agora os artistas reunem-se para lá trabalharem. A galeria é também assim, o atelier. E toda a gente começou a contribuir! Dão tecidos, restos de carpete, brinquedos velhos, bijuteria, roupa, sapatos, gaiolas, sacos, e tanta coisa mais. A palavra imperativa é a “criatividade”!
A criatividade traz aqui um elemento motivador para todos os artistas que não tinham trabalho ou algo que os motivasse a trabalharem ou terem sequer a inspiração para o fazerem. Agora podem! Pois o espaço está lá! E está lá para eles, e é gerido e desenhado por eles próprios!
É esse o meu lugar eleito para doar o meu “lixo”, que gosto de ver com meus próprios olhos a tomar forma noutros objectos, como malinhas feitas com lata de cerveja, caravelas feitas com latas de coca cola, bijuteria feita com um monte de coisas diferentes, quadros e malas feitos com todos os restos de tecidos, carpetes e tapetes feitos de retalhos a fazerem puzzles para as pessoas decorarem pela casa fora… enfim, uma variedade que não pára de crescer com a imaginação e criatividade de todos os artistas plásticos que estão a contribuir para a galeria!

§ Eu dei para a minha amiga roupas e tecidos velhos. Eu sei que irão ser criados objectos fenomenais!

MEU CONSUMO
“Tudo o que você consome tem um impacto no mundo”

Padrão de consumo (registo: “o quê?”): lenços de papel, fruta, vegetais, cereis, chocolate, pão, tostas, energia eléctica, água, gás, telemóvel, livros, impressões de trabalho, material de escritório como: papel, canetas, post its, bolsas, etc.

Balanço: o que posso eu economizar (registo: “como?”)? posso utilizar lenços de pano; plantar as minhas próprias àrvores de fruto – na casa em Portugal já tenho macieira, tangerineira, laranjeira, figueira, tomate; não deixar aquecimentos ligados de uma forma contínua, mas sim ligar e desligar. Posso desligar a água que fica a correr enquanto tomo duche – esta questão é uma das muitas questões julgadas fáceis de implememtar, só as pessoas não estão muito habituadas a terem de pensar nisso – consciência? socialização, criatividade, empreendedorismo?

Uma boa forma de economizar embalagens: fazer as carteirinhas porta moedas, fazer vasos para plantas, fazer recipientes para toda uma variedade de coisas.

Os livros posso deixar de comprar e requisitar nas bibliotecas que tenho acesso, ou pedir emprestado aos meus amigos e colegas de trabalho – já estou fazendo isso há muitos anos! Posso também ler no computador o meu material de trabalho em vez de imprimir – apesar de ser bem mais cansativo para os olhos…

§Quanto consegui economizar (registo: “quanto?”)?
50% em comida e energia – esta semana fiquei em Portugal e foi óptimo poder ir às minhas àrvores no quintal quando queria comer fruta! 🙂
30% em impressões e material de escitório, pois essa semana organizei o meu evento de Criatividade em Gestão de Projectos em Lisboa, e os participantes precisavam de algum material para leitura e fazer exercicios para levar para casa. Poupei sempre que pude, como nas apresentações em powerpoint e alguns materiais que enviarei por email aos participantes do evento em vez de imprimir.

INSPIRING VIDEOS
E aqui seguem 3 vídeos inspiradores de como a criatividade pode ajudar a nossa visão sobre as coisas que vemos como “lixo” e “inutilizáveis”, e como podemos libertarmo-nos para fazermos as coisas que à partida as pessoas podem pensar “que loucura!”, “nunca vai conseguir!” (que arruinam com a criatividade dos indivíduos), e não termos medo de ir atrás da nossa ideia, transformar um objecto noutro com uma função completamente diferente, supreender os outros e mostrar que é possível! Ser capaz de mudar um sistema para dar importância a coisas que a maioria das pessoas não dá.

Adora Svitak: What adults can learn from kids:
http://www.ted.com/talks/lang/eng/adora_svitak.html

Amy Tan on creativity:
http://www.ted.com/talks/lang/eng/amy_tan_on_creativity.html

Advertisements
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

2 respostas a Tarefa 2 – Meu Lixo | Meu excesso | Meu consumo

  1. Nwanneka Nnoli diz:

    Hello Gloria

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s